Publicada em: 08/04/2005 - 467 visualizações

Vereadores, Deputados, comunidade e funcionários discutem situação da Mercedes na cidade

Vereadores, Deputados, comunidade e funcionários discutem situação da Mercedes na cidade (08/04/2005 00:00:00)
 

Vereadores, Deputados, comunidade e funcionários discutem situação da Mercedes na cidade

       Depois de audiência pública, convocada pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembléia Legislativa, os vereadores, deputados estaduais e federais e funcionários da Mercedes resolveram formar um comitê permanente envolvendo os poderes municipais, estaduais, federais, sindicato dos trabalhadores e representantes da empresa, a fim de discutirem os conceitos para uma nova linha de montagem em Juiz de Fora e manutenção dos 1160 empregos diretos na cidade. O Comitê irá trabalhar sob a coordenação da Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da Assembléia Legislativa, atualmente presidida pelo deputado estadual, Edson Rezende (PT). Os participantes querem a garantia de ter acesso a toda documentação assinada entre a Mercedes e o Governo do Estado.
       A coleta de documentos sobre a situação da empresa, contratos de financiamento e prestação de contas também deverão estar disponíveis para o Comitê. O presidente da Câmara , vereador Vicente de Paula Oliveira - Vicentão (PTB), falou da importância de se discutir esse assunto em Juiz de Fora e da preocupação com a manutenção dos empregos gerados direta e indiretamente pela empresa. É um momento de lutarmos juntos e buscar soluções para o problema do desemprego dos nossos cidadãos, afirmou. O prefeito de Juiz de Fora, Carlos Alberto Bejani , afirmou ter se sentido desrespeitado pela Mercedes, que o comunicou apenas por telefone sobre a interrupção de sua produção, sem a entrega de nenhum documento oficial.
       O representante de relações institucionais e articulação da Mercedes afirmou que os postos de emprego serão mantidos até fevereiro de 1996, e que não pode anunciar detalhes dos novos conceitos que estão sendo estudados pela empresa para evitar a concorrência internacional. O contrato para a implantação da indústria foi assinado em 13 de dezembro de 1996, com início da produção em abril de 1999. O carro fabricado era o Classe A e mil funcionários trabalhavam na empresa.
       Em 2000, chegaram a ser fabricadas 22 mil unidades, com 1700 empregados. O Classe C foi montado na cidade entre 2002 e 2004, conforme o previsto, mas a produção foi paralisada em fevereiro de 2004. Desde então, várias possibilidades foram especuladas, o Z car, Neon, Mitsubisch e Smart. A empresa tem capacidade de montar 70 mil veículos por mês. Em 2004 produziu 6 mil unidades e este ano, a previsão é de 3,5 mil.
       De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora, além dos 1160 empregos diretos, mais 200 das fornecedoras e 300 das prestadoras de serviço (alimentação, vigilância, entre outras) estão em risco. O impacto será em toda região. Cerca de 350 pessoas de Santos Dumont ocupam postos de trabalho dependentes da Mercedes.
       

Arquivo de notícias >>>

 


©2022. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade