Publicada em: 29/04/2005 - 488 visualizações

Padre Wilson Valle da Costa, prêmio Nobel da Paz, tem homenagem da Câmara

Padre Wilson Valle da Costa, prêmio Nobel da Paz, tem homenagem da Câmara (29/04/2005 00:00:00)
 

Padre Wilson Valle da Costa, prêmio Nobel da Paz, tem homenagem da Câmara

       Na próxima segunda-feira (02/05), às 19h30, a Câmara Municipal vai conceder, post-mortem, o título de Cidadão Benemérito ao Padre Wilson Valle da Costa, como parte do programa que marca a passagem dos 40 anos da morte do religioso. O título resulta de projeto do presidente da Casa, vereador Vicente de Paula Oliveira (Vicentão-PTB).
        Graças ao padre, Minas Gerais teve seu primeiro Prêmio Nobel da Paz, concedido in memoriam a um cidadão de Juiz de Fora. O prêmio foi conquistado pela atuação do religioso como capitão-capelão da primeira missão internacional de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), conhecida no Brasil como Batalhão Suez. Padre Wilson integrou o segundo contingente da Missão, em 1957, sendo o responsável pela orientação espiritual aos mais de trezentos militares do grupo.
        A medalha e o diploma referentes ao Prêmio foram encaminhados pelo Comitê do Prêmio Nobel da Paz, em Oslo, na Noruega, à jornalista Mariângela Herédia da Costa, sobrinha do padre Wilson, e autora do livro PRB-3, Meu Ouvinte Meu Amigo, lançado em dezembro de 2003, em Juiz de Fora. O Prêmio Nobel foi outorgado às Forças de Paz das Nações Unidas em 1988, e, recentemente, o Comitê autorizou a entrega do prêmio aos integrantes daquelas forças.
        O Batalhão Suez atuou por dez anos com a participação de cerca de 6.300 militares brasileiros. Integrou a Força de Emergência das Nações Unidas criada para manter a paz no Oriente Médio, garantindo o cessar-fogo e evitando nova guerra entre árabes e israelenses. Inicialmente composta por 10 países, a chamada Força Internacional de Paz instalou-se na Faixa de Gaza, criando uma zona neutra e estabelecendo a Linha de Demarcação de Armistício na divisa entre o Egito e Israel.
        A missão de Suez foi marco na história mundial, porque nunca antes as forças militares tinham sido empregadas internacionalmente para impedir conflitos entre povos e garantir a paz, mas sim para ganhar a guerra, dominar e servir aos interesses do poder. A presença de Padre Wilson nessa missão, como o único religioso do segundo contingente, marca a história de sua vida e de sua cidade natal.
       No mesmo dia, ou seja, 2 de maio, será lançado o projeto da Fundação Padre Wilson, que terá a finalidade de seguir seus anseios por um mundo melhor, por meio da paz e da fraternidade entre as pessoas, atendendo principalmente aos jovens.
       

Arquivo de notícias >>>

 


©2022. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade