Publicada em: 21/02/2024 - 208 visualizações

Câmara Sênior promove bate-papo sobre a Ouvidoria de Saúde de JF

Câmara Sênior promove bate-papo sobre a Ouvidoria de Saúde de JF (21/02/2024 00:00:00)
  • A ouvidora Samantha Borchear falou sobre protocolos e direitos na saúde pública
 

 

Com instruções sobre como as pessoas idosas podem e devem acessar o serviço de Ouvidoria do Município, a reunião do Câmara Sênior Ana Edde da Câmara Municipal de Juiz de Fora (CMJF) contou com a participação da ouvidora de saúde de Juiz de Fora, Samantha Borchear, e com a participação do presidente da CMJF, vereador Zé Márcio-Garotinho (PV). O encontro foi mediado pela coordenadora do Câmara Sênior, Flávia Duarte. Pelo excesso de assuntos e dúvidas, o encontro, que durou duas horas e meia, será continuado no próximo dia 11 de março, às 14h. 


Durante o bate-papo, a ouvidora reforçou, por meio de diversos exemplos, como muitas vezes os problemas na saúde pública estão mais relacionados com a falta de gestão do que propriamente devido ao orçamento apertado. Ela ainda defendeu o SUS e comparou ao período em que não existia a saúde pública universal. “O sistema não acolhe todos como deveria e não alcançou ainda a universalidade proposta. Mas é um avanço significativo e precisamos trabalhar para que ele continue avançando”. 


Com perguntas feitas pelos participantes do Câmara Sênior, a ouvidora frisou as previsões orçamentárias de cada uma das áreas da saúde: primária, secundária e terciária. “Se a primeira é o posto do bairro, a secundária seriam os especialistas, como no PAM-Marechal. Já a terciária são unidades de urgências, como o HPS e UPAs – que têm hoje o maior gargalo”, apontou ela. “80% do orçamento está na terciária. Embora atenção terciária seja importante, a atenção primária evita o agravamento das doenças e nós temos 63 unidades de atenção primária em Juiz de Fora, sendo que destas 45 têm Estratégia de Saúde da Família [ESF]”. 


Os participantes questionaram ainda sobre consórcio da Ascispes; Estratégia de Saúde da Família (ESF) nos finais de semana; regras e princípios da relação das equipes de ESF com a população; concurso e qualificação de médicos e enfermeiros para o fim da rotatividade; necessidade de plano de cargos e salários da saúde pública municipal; atendimento a cidadãos de áreas descobertas; atendimento no departamento do idoso; orientação para idosos acamados; organização do Atendimento de Internação Domiciliar (DID); transparência nas informações sobre atendimento nas assistências  farmacêuticas do SUS; protocolos e continuidade de serviços;  e prioridades de atendimento. 


Mais informações: 3313-4734 - Assessoria de Imprensa


 


©2022. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade