Buscar
 

Arquivo de Notícias

14/09/2021

Protocolos para retorno das aulas presenciais são debatidos em reunião da Comissão de Educação 

Protocolos de segurança serão seguidos rigorosamente; segunda dose para pessoas que poderão ser contratadas para trabalhar na educação é garantida; ocupação das vans continua em 50% da capacidade

Na manhã desta terça-feira, 14, foi realizada na Câmara Municipal de Juiz de Fora (CMJF) uma reunião da Comissão de Educação, Cultura e Turismo para esclarecimento sobre o  retorno das aulas presenciais no município. Fazem parte da comissão as vereadoras Cida Oliveira (PT), Laiz Perrut (PT) e Tallia Sobral  (PSOL) e o vereador Nilton Militão (PSD). A reunião foi proposta pelos integrantes da Comissão de Educação e o vereador Sargento Mello Casal (PTB).

A presidente da Comissão de Educação, Cultura e Turismo, Cida Oliveira  destacou a importância da discussão: “quando se tem  dúvidas, a melhor saída é o diálogo. A reunião atingiu seu objetivo que é sairmos daqui fortalecidos, nesse momento grave que estamos vivendo, precisamos de fato é ter os nossos alunos assistidos e a comunidade escolar atendida”. A vereadora Laiz Perrut seguiu a mesma linha: “a reunião é uma oportunidade para sanar as dúvidas, primeiro ouvir como será o protocolo já está definido junto ao Ministério Público e após esclarecer nossas dúvidas”. 

A vereadora Tallia Sobral, que também é educadora, disse que a situação da fome entre os alunos das escolas municipais não é um tema novo. "A situação se intensificou com a pandemia, já dei aulas em inúmeros espaços e sabemos que existem escolas insalubres, tudo que é viral se espalha muito rápido, tem escolas que não têm ventilação. É preciso um preparo para os professores não só no aspecto social, mas também pedagógico”. A vereadora reivindica vacinação para os profissionais que serão contratados futuramente para trabalhar na educação após o retorno das aulas.

O vereador Sargento Mello Casal indagou sobre a questão dos transportadores escolares e, ao final da reunião, mostrou insatisfação com o fato de não ter visto uma solução para a situação. “Colocar os trabalhadores com as vans com capacidade reduzida nas ruas  não pagará os custos do veículo e nem das pessoas contratadas, quanto ao retorno das aulas que teve que ter a interferência do Ministério Público (MP), ainda sinto resistência, mantendo várias regras que dificultam esse  retorno. Precisamos aproveitar os exemplos de cidades que já retornaram com as aulas e pegar as informações de como foi feito para trazer para a nossa cidade”, destacou. 

A gerente do Departamento Infantil da Secretaria de Educação, Vivian Carvalho, explicou sobre os protocolos sanitários do município. A quantidade de alunos para cada sala é estabelecida de acordo com a metragem mínima de distanciamento linear e também de acordo com a ventilação - essas três variáveis vão implicar na quantidade de bolhas que podem estar atuando na turma. “No protocolo, o orientador da rede municipal coloca a possibilidade de até três bolhas, já na rede particular existe a situação que algumas turmas estão esvaziadas por conta da própria pandemia, então existe a possibilidade de salas amplas com o número de crianças muito aquém da meta daquela turma e com ventilação, então é possível pensar em até três bolhas para esse atendimento inicial”. 

A secretária de Educação, Nádia Ribas, declarou que existe uma Nota Técnica no portal da Prefeitura de Juiz de Fora de como se dará o monitoramento na próxima semana. “Faremos uma live para sanar todas as dúvidas sobre a Nota Técnica. A ideia é que em todas as escolas haja um espaço que chamamos de ‘espaço de acolhimento’: a criança ou profissional que tenha algum sintoma gripal, até ser encaminhado para uma Unidade Básica de Saúde [UBS] ou, no caso das crianças, para o Pronto Atendimento Infantil [PAI], fiquem nesse local. A criança ou profissional que o exame der positivo, serão afastados. A nossa grande questão é acompanhar e fazer o monitoramento da forma mais segura possível, nós estamos estudando nesses últimos dias de uma forma intensa de como vamos fazer isso na prática”. Nádia lembrou ao final que as famílias têm a opção de permitir que as crianças voltem ou não presencialmente e que os dois modelos continuam funcionando. A secretária ao final garantiu a segunda dose da vacina contra a COVID-19 para os profissionais que poderão ser contratados para trabalhar na educação. 

“Estou muito otimista, só o fato de termos a data para o retorno das aulas já é um grande avanço, esses detalhes que estão acontecendo sempre causam muitas dúvidas, e elas precisam ser esclarecidas, mas eu vejo que há uma boa vontade muito grande do Poder Executivo, hoje temos 101 escolas, 46 creches já em fase de preparação dos protocolos, acordado com o Ministério Público. As aulas retornarão dentro do número seguro e será de forma crescente e com máscaras, álcool em gel, e tudo que for necessário para a seguranças dos profissionais e alunos”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Juiz de Fora (CMJF), Juraci Scheffer (PT).

Mais informações: 3313-4734 - Assessoria de Imprensa

Visualizada pela 94ª vez

Câmara Municipal de Juiz de Fora
Rua Halfeld, 955 - Centro, Juiz de Fora/MG
Tel: (32) 3313-4700


©2021 Câmara Municipal de Juiz de Fora